quarta-feira, 5 de outubro de 2005

A poesia...

...Nunca mais amarei quem não possa viver
Sempre.
Porque eu amei como se fossem eternos
A glória, a luz e o brilho do teu ser,
Amei-te em verdade e transparência
E nem sequer me resta a tua ausência,
És um rosto de nojo e negação
E eu fecho os olhos para não te ver.

Nunca mais servirei senhor que possa morrer.

2 Comments:

Anonymous Faxavor said...

Oh si, cariño, me gusta lo blog en español ;)

faxavor.blogspot.com

4:58 da tarde  
Anonymous sonia lucas said...

Amo este poema da sophia de mello

3:01 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home